Com a turma do CDP, tudo acaba em samba! 

Músicos de Canoas, além de terem repertório autoral, são conhecidospelas releituras em ritmo de ziriguidum. 

Formado por moradores de Canoas, o grupo Clima de Pagode (CDP) nasceu da paixão de seus integrantes por samba e pagode. Porém, mesmo sendo fãs dos ritmos mais populares do país, os músicos decidiram democratizar o som desde o início da carreira.

- Desde o começo, sempre tentamos que nosso diferencial fosse não ter preconceito com nenhum gênero: sertanejo, pop, MPB. Não temos preconceito nem repertório fechado. Qualquer canção que esteja em alta, a gente transforma em samba. Costumamos dizer que, se a gente conseguir adaptar, tudo vira samba - explica Rafael, vocalista da banda.

Segundo o músico, as maiores referências dos pagodeiros são bandas que despontaram nos anos 1990, com apostas na harmonia e no trabalho de percussão, que estão em evidência nos grupos atuais.

Em seis anos, a atual formação ganhou destaque fazendo shows em quase todo o Estado e, desde o princípio, investe forte no repertório próprio. 

- Estamos com boa agenda em casas do gênero na Capital, mas nosso intuito sempre foi apresentar coisas autorais para nosso público - comenta Rafael.

Um exemplo, ele cita, foi o primeiro DVD da banda, gravado em 2019, que tem 10 faixas autorais. 

- Logo em seguida, veio a pandemia de covid-19 e, infelizmente, não conseguimos trabalhar esse material da forma como gostaríamos. Agora, estamos tentando viabilizar a melhor maneira de retomar a divulgação desse trabalho, que foi feito com o maior carinho - conta Rafael.

O músico comenta que o grupo também ficou conhecido por fazer shows de abertura para grandes nomes da cena nacional, como Ferrugem, Péricles e Menos É Mais. 

- Isso nos deu ainda mais embasamento e força para seguirmos adiante. Nossos músicos já têm experiência, vários tocaram em outras bandas. Acreditamos muito neste projeto. E costumamos dizer: se a música for boa, com letra boa, dançante, transformamos em pagode - finaliza. 

Ainda integram a banda Nandinho (violão), Fabão (cavaco), Ita (pandeiro), Alexandre (percussão), Juninho (teclados) e Jaio (percussão).

- Banda de excelentes músicos, com experiência. Eles têm tudo para ganhar destaque até fora do Rio Grande do Sul!

- Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas, vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.